Terceiro Setor aqueceu a capital mineira em semana de baixas temperaturas

Quem estava no 12º Encontro Nacional do Terceiro Setor, nos dias 13 e 14 de junho de 2016, nem percebeu que estes foram dois dos dias mais frios dos últimos anos na capital.

Surpreendente, inesperado, emocionante são algumas das palavras que se ouvia ao circular entre os mais de 450 participantes da noite de abertura do 12º ENATS. Eles tentavam encontrar palavras para definir a experiência, certamente inesquecível, que vivenciaram na noite na última segunda-feira, 13 de junho, no Cine Theatro Brasil Vallourec.

Inácia Soares, jornalista, e Vinício Marinho, aluno das oficinas de futebol e rima do Grupo Escola Amizade e Amor (GEAA), foram os mestres de cerimônia. A orquestra da Ramacrisna, conduzida pelo maestro Eliseu Barros, foi responsável pela trilha sonora, um dos grandes destaques da noite, que tocou de Villa Lobos à base para uma improvisação de rap de Vinício.

As autoridades discursaram ao som da orquestra, em um desafio lúdico. Eles escolhiam uma música do repertório e tinham que usar o tempo exato da faixa musical para a fala. Entre os divertidos discursos musicados, foram apresentadas histórias de pessoas diretamente beneficiadas por organizações da sociedade civil. Zarlete, Geraldo, Rinaldo e Dona Elizabeth compartilharam suas histórias de superação de violência doméstica, de trajetória de rua, de crimes, e de missionária e moradora de uma Instituição de Longa Permanência de Idosos. Para encerrar, a organização social Corpo Cidadão presenteou os participantes com um belíssimo espetáculo de dança, destacado por Laís Vanessa Carvalho de Figueiredo Lopes, assessora especial do Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, como um dos pontos mais marcantes do evento.

Depois de uma abertura acima de todas as expectativas, ficou o desafio para os organizadores de fazer o segundo dia de encontro ainda melhor. A terça-feira, 14 de junho, começou cedo para os participantes do ENATS, que mais uma vez lotaram o teatro principal do primeiro prédio com arquitetura art déco de Belo Horizonte. O professor da Fundação Dom Cabral e diretor do Instituto Orior, Raimundo Soares, foi o “mestre-sem-cerimônia” do dia, como ele mesmo se apresentou.

A mescla entre debates, cases de inovação, reflexões, apresentações culturais, como o maravilhoso show do grupo Meninas de Sinhá, e intervalos para almoço e lanches em espaço para trocas e diálogos, a riqueza de conteúdo e de detalhes (os participantes ganharam pindas chinesas para aliviar dores musculares e relaxar) garantiu o sucesso do segundo dia de evento, comprovado com o teatro lotado até o final do dia.

Investimento social, marco regulatório, inovação, empreendedorismo social e alianças intersetoriais foram os tópicos principais dos debates que contaram com convidados bem preparados para esclarecer dúvidas e incitar a ação nos participantes. O papo estava tão bom, que ficou a sensação de quero mais. Muitas perguntas não puderam ser respondidas, para manter a programação no horário, e foram enviadas por e-mail para os palestrantes e as respostas serão publicadas na próxima edição da revista Valor Compartilhado.

Natália Amorim da Silva está se preparando para abrir uma empresa de prestação de serviços para Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e disse ter gostado especialmente da fala da Anna Cristina Romanelli, coordenadora programática da Fundação AVINA. “Gostei bastante da parte sobre intersetorialidade, em que ela apresentou exemplos reais de como as alianças são possíveis e também de toda a participação do Ministério Público”, comentou Natália e completou “esses eventos são importantes para nos inspirar, para nos ajudar a sair da zona de conforto”.
A participação e colocações dos promotores e procuradores do Ministério Público reforçaram o elo entre a instituição e o Terceiro Setor, mostrando como compartilham valores e missão e estão preparados para serem parceiros de trabalho, inclusive, na busca de estratégias para superação da crise.

O 12º ENATS foi realizado pelo Centro Mineiro de Alianças Intersetoriais (CeMAIS), Centro de Apoio Operacional às Alianças Intersetoriais do Ministério Público de Minas Gerais (CAO-TS MPMG), Conviver Saber Social, Fundamig e Tomáz de Aquino Costa Vilar Sociedade de Advogados e contou com o patrocínio de: Unifenas, Instituto C&A, Cimento Nacional, Fiat Chrysler Automobiles, Cemig, FIEMG e Fundação Gorcex.

Deixe um comentário